Nosso Lugar

14:30

Quando eu tinha 5 anos de idade minha mãe foi morar na Europa e me deixou com meu pai. Já mencionei esse fato em outra postagem, porém ocorreram diversas situações antes, durante e após esse acontecimento que não expus - e nem exporei - devido a uma série de fatores. Apesar de parecer e ser uma história triste e complexa, possuo mais motivos para agradecer do que para reclamar e um dos principais deles é uma pessoa que foi essencial na minha vida e, principalmente, na construção do meu caráter: Eliane (mãe do meu irmão e ex-esposa do meu pai).

É a primeira vez que escrevo sobre ela e tenho tanto a falar que mal consigo definir por onde começar. Dizem que a vida é complicada e admito que essa é uma afirmativa verdadeira, mas não há como negar que nós - seres humanos - temos a capacidade de piorá-la.

"Quem me quiser tem que querer a minha filha" essa foi a frase que meu pai disse para minha vovó quando ela pediu para me criar. Porém - sejamos honestos - se nem a própria mãe quis, quem iria querer? [...] A Eliane me aceitou e me amou como se eu fosse filha dela.

Ela me ensinou grande parte do que sei e seria impossível listar todos esses ensinamentos, mas sempre serei grata e os levarei tanto para a minha vida quanto para a vida da família que construirei um dia.

Nada é perfeito e ninguém está isento de cometer erros, porém a atitude dela fez com que o sonho do meu pai (que se tornou o meu maior presente) fosse realizado: eu e meu irmão crescendo na mesma casa, vivendo nossa infância juntos. Não existe nada que seja maior, melhor e tampouco mais precioso do que isso.

Na minha pré-adolescência nossa relação se tornou conturbada tanto pelos problemas que essa fase por si só acarreta quanto por razões externas. Permitimos que o ruim se tornasse mais forte do que o bom e o nosso coração de encheu se mágoa e rancor. Conviver em harmonia se tornou inviável e aos poucos nos desconhecemos. Houveram diversos desentendimentos e os conflitos pareciam ser intermináveis.

Nesse meio tempo ela e meu pai se separaram (por motivos pessoais deles), nós nos distanciamos definitivamente e a vida seguiu para todos. 

Sempre evitei pensar nesse assunto porque me machucava mais do que meu orgulho me autorizava a admitir, mas quando ele vinha à tona na minha mente a melancolia tomava conta do meu ser. Apesar dos inúmeros pesares foi ela que cuidou de mim durante quase 10 anos. Isso nunca será apagado ou esquecido. Ela foi - e sempre será - a minha mãe. 

"Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu.
Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
Tempo de matar, e tempo de curar; tempo de derrubar, e tempo de edificar;
Tempo de chorar, e tempo de rir; tempo de prantear, e tempo de dançar;
Tempo de espalhar pedras, e tempo de ajuntar pedras; tempo de abraçar, e tempo de afastar-se de abraçar;
Tempo de buscar, e tempo de perder; tempo de guardar, e tempo de lançar fora;
Tempo de rasgar, e tempo de coser; tempo de estar calado, e tempo de falar;
Tempo de amar, e tempo de odiar; tempo de guerra, e tempo de paz." (Eclesiastes 3:1-8)

Depois de alguns anos sem nenhum tipo de contato voltamos a nos falar. No momento mais difícil da minha vida ela se preocupou o suficiente para se fazer presente novamente e trouxe um pedido de perdão consigo, porém o que ela não sabia é que o mesmo já havia sido concedido há muito tempo.

Sexta-feira, dia 15 de dezembro de 2017, ela me mandou mensagem no whatsapp chamando eu e o Léo para irmos com ela e o Lucas no restaurante Nosso Lugar sábado. Eles já haviam ido antes e quando fiquei sabendo falei que sempre tive vontade de conhecer. Aceitei o convite na hora e fiquei extremamente feliz pois seria a primeira vez que sairíamos desde que fizemos as pazes. E na postagem de hoje irei compartilhar com vocês a noite maravilhosa que nós tivemos.



Eu e o Léo fomos na Lapa sexta e chegamos na manhã de sábado, então acordamos um pouco mais tarde do que deveríamos e nos arrumamos com bastante pressa porque sabíamos que perderíamos no mínimo 1h do Centro até Belford Roxo.

Íamos passar na minha casa antes porque estávamos com mochilas e com o chocottone que ganhei da firma, mas acabamos indo direto para a casa deles porque pegamos congestionamento no caminho - causado por uma tempestade de verão que inundou a Dutra e fez chover bizarramente dentro do ônibus.

Estávamos nos preparando psicologicamente para caminhar em ruas alagadas, mas ao chegarmos lá nos surpreendemos porque sequer havia chuviscado! Kkk. Eles continuam morando na casa onde vivemos todos juntos e entrar nela depois de tantos anos foi menos estranho do que eu imaginava.

Conversamos um pouco, mas não demoramos muito para chamar o uber porque já estava ficando tarde. Deixei nossas coisas no quarto do meu irmão para buscarmos na volta e fomos para o portão aguardar o carro - que chegou relativamente rápido apesar de ter demorado para aceitar a corrida.

Levamos mais ou menos meia hora para chegar no restaurante e esperávamos encontrar uma fila gigantesca pois essa é uma das poucas características negativas do lugar, porém - apesar da mesma realmente existir - ela era bem menor do que pensávamos, fluía com rapidez e a atendente que a estava organizando era muito eficaz. Obviamente o fato de não termos parado de conversar por sequer um segundo teve influência na minha percepção, mas em alguns minutos nos direcionaram para nossa mesa.

O ambiente é composto por três andares, sendo que o segundo possui um espaço kids. Como ficamos no primeiro não conhecemos os restantes, porém acredito que o terceiro seja mais voltado para reservas de aniversário.

A única coisa que me desagradou foi o tamanho da mesa em que nos colocaram pois - além de ser pequena para 4 pessoas - estava encostada na parede e isso fazia com que ficássemos com ainda menos espaço. O restaurante estava realmente cheio, mas nada que nos incomodasse pois os funcionários parecem ser bem instruídos e conseguem dar conta de todos os clientes.

Agora vamos falar do que realmente interessa: os preços e as comidas! Quem acompanha o instagram ou a página do facebook do Nosso Lugar tem noção das maravilhas existentes no menu deles, mas os valores não são divulgados e isso me deixava com medo de serem muito absurdos pois - ao menos no Centro - os hambúrgueres artesanais simples costumam custar em torno de R$30,00 sem batata ou bebida inclusa. Como não sou boba nem nada, na primeira vez que a Eliane e o Lucas foram lá pedi para fotografarem o cardápio. Não me julguem, precisava saber se era um local que caberia no meu bolso! Kkk. Eles fotografaram e compartilharei com vocês abaixo.





A qualidade das imagens não está muito boa porque eles as tiraram escondido e sem flash, porém os preços estão bem nítidos e confesso que me surpreendi positivamente ao vê-los pois são extremamente mais baixos do que supus.

Voltando ao nosso sábado...

A Eliane e o Lucas comem pouquíssimo e pediram o cheeseburger, eu e o Léo - que somos bons no quesito levantamento de garfo - pedimos o new cheddar. Enquanto aguardávamos nossos pedidos aproveitamos para tirar algumas fotos e uma ficou mais linda do que a outra! 






Infelizmente essa foto ficou tremida, mas ainda assim é a minha favorita. Esse sorrisão lindo do meu irmão não tem preço! 
Ele não gostou da foto porque fizemos palhaçada para ele rir, porém o que importa é que conseguimos registrar esse ocorrido fotográfico raro! Kkkk.
Os pedidos chegaram bem rápido e, felizmente, juntos. Detesto ser redundante, porém seria impossível não dizer que nos surpreendemos com o tamanho, com a apresentação e com o quão saborosos são os molhinhos que vêm junto.

Você quer cheddar, @? Então toma!
Pensem em um hambúrguer delicioso, multipliquem por mil e somem um milhão e ainda assim será difícil chegar ao resultado exato. Muito gostoso, carne suculenta e batatas sequinhas! 

Só esse lanche já seria suficiente porque alimenta, viu? Mas como uma boa - e gulosa - formiga que sou jamais dispensaria a sobremesa. Enquanto a Eliane e o Lucas já estavam explodindo, eu e o Léo discutíamos sobre qual taça escolher! Kkk. Confesso que por mim teria escolhido a taça de açaí com chocolate branco, porém eles argumentaram tanto que me convenceram a desistir e optei pela taça de leite ninho.

É basicamente Jesus no céu e essa taça na Terra, amores!
Acreditem, não é possível mensurar a grandeza dessa taça através da foto, ela é ENORME! Como vocês viram, na descrição do cardápio está escrito: "Taça coberta com brigadeiro de leite ninho, sorvete de creme, paleta de leite ninho trufado, chocolate branco e chantilly." e além disso ainda há leite ninho em pó. É maravilhosa, mas tão grande que nós 5 (o marido da Eliane chegou depois) não aguentamos comer. 

O Léo, olhudo toda vida, pediu um cheeseburger para viagem, mas a verdade é que todo mundo  - incluindo ele - já estava empanturrado.

A conta, já com os 10%, deu em torno de R$170,00. Uma média de R$34,00 reais para cada um. Obviamente paguei o que eu e o Léo consumimos pois foi um gasto maior do que o deles, porém ainda assim achei barato comparado a quaisquer outros restaurantes. Vale muito a pena e pretendo comemorar meu aniversário lá! 

Fomos embora por volta de 23h30min. O estabelecimento funciona até 0h e ainda havia pessoas entrando. Saí tendo a certeza de que não se trata só de fama ou nome, é bom - em todos os sentidos - mesmo!

O marido da Eliane nos levou embora e no caminho da volta ouvi várias histórias engraçadas - e inéditas - de quando o Lucas era mais novo. Foi bom renovar o estoque porque meu pai só conta as mesmas de sempre! Kkk.

Passamos na casa deles para pegar nossas bolsas e depois nos deixaram na minha. As luzes estavam desligadas, mas meu bebê ainda estava acordado! 

Arrumei o quarto para dormirmos, eu e o Léo trocamos de roupa e ele - inacreditavelmente - ainda comeu o cheeseburger.
Naquela madrugada deitei na cama com uma sensação muito boa dentro do peito. Uma mistura de paz e felicidade que é difícil descrever com perfeição e um pensamento constante que ecoou na minha mente até eu apagar: "tudo no seu devido lugar".

"Não existe acasos nos planos de Deus, tudo tem sua razão e tempo para acontecer. Não é preciso entender, mas confiar. Não é preciso ter pressa, mas fé. Deus está cuidando de tudo, arrumando cada coisa em seu lugar, preparando o nosso coração e desenhando o nosso caminho. Deus é quem vai renovando as forças, aumentando a nossa fé e fazendo renascer a esperança."

E é isso!

Até a próxima! 

Você também poderá gostar de:

0 comentários