Meu Natal – 2017

14:32

"Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu, e o principado está sobre os seus ombros, e se chamará o seu nome: Maravilhoso, Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz." (Isaías 9:6)

Na postagem de hoje irei compartilhar com vocês como foi o meu natal, mas antes gostaria de lembrá-los do significado tremendo que existe por trás desse feriado e a lição que ele nos ensina.

Sou cristã, porém caso você não seja não há problema pois a mensagem que quero passar independe de religião e/ou crenças pessoais. 

No natal celebramos o nascimento* de Jesus Cristo e, consequentemente, tudo o que ele representa. 

Mas o que representa, afinal?

O maior significado do Natal é o perdão. O maior presente que alguém pode receber para aliviar as dores da própria alma. Este perdão é de graça: "Vinde a mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei." (Mateus 11:28). É melhor dar do que receber. Perdoar é melhor do que ser perdoado, porque perdoar exige sacrifício. Deus enviou o seu perdão para toda humanidade em um forma humana. Cristo é o perdão de Deus.

"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu filho unigênito, para que todo aquele que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna." (João 3:16)

Natal é tempo de Jesus. Natal é tempo de perdão. Comece um ano novo fazendo uma "faxina" em seu coração. Perdoe, assuma um compromisso de perdoar diante de Deus. Liberte-se das mágoas, angústias ligadas às pessoas que lhe fizeram mal. Perdoe. Se assim fizer, suas orações não serão impedidas. O caminho para receber todo tipo de bênçãos estará liberado. Bênçãos de saúde, bênçãos financeiras, bênçãos de paz de espírito, bênçãos de uma nova oportunidade de negócios - enfim, todas essas bênçãos e muitas outras dependem de obedecer àquele que foi desprezado, traído, esbofeteado, crucificado - mas perdoou: você e eu.

*Ele não nasceu dia 25 de dezembro, porém não se sabe a data exata e essa foi a escolhida pela Igreja para simbolizar seu aniversário.


Depois de muitos anos - e pela primeira vez na casa que moramos atualmente - meu pai decidiu fazer uma ceia e eu não poderia ter ficado mais feliz com essa ideia! Passo a virada do natal com a família do meu noivo desde que começamos a namorar e sentia muita falta de estar com a minha - ainda que sempre estivesse no feriado em si.

Obviamente me animei bastante, mas meu pai conseguiu me superar na animação e, junto com a Cris, fez uma lista enorme de pratos. Aproveitei a oportunidade para tentar reproduzir a torta de bacalhau que a minha mãe fez no natal de 2013 e que eu e o Léo jamais conseguimos esquecer.



De sexta (22/12/17) pra sábado (23/12/17) eu e o Léo dormimos na casa do Carlos e da Alany. Eles casaram recentemente (fomos padrinhos ) e estão morando em Realengo. Foi muito divertido! Comemos, bebemos, jogamos... Porém no dia seguinte tivemos que sair de lá bem cedinho porque precisávamos comprar alguns presentes de natal e estávamos com medo das lojas fecharem cedo.


Fomos para o Centro de trem e compramos uma bolsa e um vestido pra mim e um macaquinho pra minha irmã (minha madrasta está grávida e eu e o Lucas iremos ganhar uma irmãzinha ) na Central, mas ainda faltavam os presentes dos meus meninos - inclusive o do Léo - e decidimos comprá-los em Belford Roxo mesmo porque já estava ficando "tarde".

Pegamos o trem novamente e, ao chegar, estávamos morrendo de calor e só não carregamos trezentas mochilas porque meu pai - maravilhoso toda vida - foi na estação pegá-las assim que saltamos para que pudéssemos ir às compras.

No decorrer da semana havia ido na S45 Fotografias (na Tijuca) imprimir fotos tanto para presentear meu grupo seleto de pessoas quanto para me presentear, então algumas foram duplicadas. Ficou em um total de 11 e - se eu não me engano - custou R$9,90. Achei o preço ótimo pela quantidade ser baixa e também pelas pesquisas online e presenciais que fiz. Na Kodak me cobraram R$2,50 por cada uma, acreditam?!

A minha ideia inicial era comprar porta-retratos para comportá-las, escrever cartas à mão e "embalá-las" em envelopes pretos. Comprei os porta-retratos em Belford Roxo e, quanto aos envelopes, só encontrei brancos. Não me estressei com isso porque na Tijuca nem os envelopes em si consegui achar. Bizzaro.

Conseguimos todo o restante na C&A: camisa pro Lucas, calça pro Léo e cueca pro meu pai. Não são os presentes mais legais do universo, mas foi isso que eles pediram! Kkk. Infelizmente esquecemos de comprar o presentinho da Esther, lembramos dentro do Uber. Não compramos roupinhas na C&A porque ela está na fase de brinquedos e quem lembra da infância sabe o quanto era frustrante ganhar short, blusa e etc, né?

Chegamos em casa mortos de cansaço e a única coisa que fizemos relacionada ao natal foi embrulhar os presentes. O que eu e a Cris tínhamos para adiantar da ceia era dessalgar o bacalhau e ela já estava fazendo isso desde o dia anterior.

Só tinha papel de presente masculino do Iron Man! Kkk. Um é do meu pai e o outro é do meu irmão. O da Rebecca (minha irmãzinha) é o de bichinho e o do Léo está na sacola da C&A. 


Além da torta que já mencionei, constava na nossa lista de afazeres: salpicão, arroz com bacalhau, pastel, farofa, fricassé de frango, tender, pudim, mousse de maracujá e bolo de banana. As outras coisas foram compradas prontas: dois frangos assados, empadão (que a Cris encomendou), chocottone (que ganhei da firma), frutas, nozes, castanhas e amêndoas. As bebidas eram refrigerante e vinho.

Nós duas cozinhamos o dia inteiro e o meu pai e o Léo ficaram responsáveis por ir no mercado comprar os ingredientes que faltaram e buscar as encomendas.

Eu fiz a torta, o salpicão e o bolo de banana (que infelizmente não deu muito certo). A Cris fez o arroz, a farofa, o tender, o pudim e o mousse. Fizemos o pastel juntas e desistimos do fricassé porque depois de desfiado o frango minguou e o usamos apenas para o salpicão.

Apesar de cansativo, foi divertido e - por incrível que pareça - extremamente organizado. Nos enrolamos com os horários, mas quando terminamos não tinha nada fora do lugar. Eu e a Cris tivemos diversos atritos no passado por inúmeros motivos que não valem a pena ser citados, porém hoje percebo que conseguimos filtrar só o que há de bom e, finalmente, viver em paz. Aprendi muito com ela sobre a importância da organização e sei que vou levar esses ensinamentos por toda vida.

A Cris foi pra igreja e eu finalizei os detalhes que faltavam. Ela deixou a mesa forrada, mas não a arrumamos porque estava cedo e ficamos com medo de algo estragar.


Eu estava feliz, mas - não sei porquê - desanimada. Essa época natalina me traz muitas lembranças que jamais voltarão a acontecer e, ao mesmo tempo, faz com que eu fantasie momentos que nunca se tornarão reais. Se eu pudesse pedir algo humanamente impossível a Deus, pediria o meu bisavô e os meus bebês, os dois, de volta.

Não quero parecer uma pessoa negativa, ingrata ou depressiva... Agradeço ao Senhor todos os dias por todas as maravilhas que tem operado na minha vida e na vida da minha família, mas a verdade é que "the happiest moments will also be a little sad."

Em vez de tomar banho e me arrumar, fui pro meu quarto tentar redigir as cartas como havia planejado, mas não consegui. Minha intenção era escrever cinco, porém com o tempo que me restava não fui capaz de finalizar uma sequer.

Meu irmão chegou (já arrumado) e eu ainda vestia meu pijama. Justo quando ele - milagrosamente - queria tirar fotos, eu não estava muito afim... Vai entender! Ele ficou um pouco conosco, mas depois foi pra casa pois cearia com a mãe dele e isso contribuiu para a minha chateação. Sinto falta dele. Sinto falta do passado. Sinto falta do que poderia estar vivendo. Sinto falta de tudo.

De uma forma patética deixei esses sentimentos tomarem conta do meu ser e fiquei deitada na minha cama até o último minuto que eu podia. Meu pai e o Léo não entenderam nada e, sendo sincera, no lugar deles eu também não entenderia. Eu finalmente estava passando o natal em casa como prometi a mim mesma que faria esse ano, a ceia que tanto queríamos estava prestes a acontecer sem nenhum problema e o mês de dezembro de forma geral foi recheado de bênçãos, mas a verdade é que eu estava saturada... 2017 foi um ano frustrante e vê-lo tão próximo do fim mexeu com meu emocional de uma forma bem ruim (falarei melhor sobre isso na retrospectiva).


Decidi - não lembro exatamente que horas - levantar, tomar um banho, me arrumar, espantar esses pensamentos degradantes e me animar. Tinha mais motivos para agradecer do que para reclamar e seria egoísmo da minha parte não reconhecer isso.

Meu pai chamou eu e o Léo para irmos na minha avó e eu ainda não havia terminado de me arrumar, mas fui mesmo assim pois é pertíssimo e já tinha pedido pra minha tia Marcela me maquiar.

Apesar de estar de noite o calor seguia castigando e fazer chapinha com esse clima estava sendo horrível, porém inevitável. Minha tia fez minha maquiagem e dei sorte porque minha prima, Nathália, se ofereceu pra fazer meu cabelo e me ajudou muito!

Confesso que pensei que ir na casa da minha avó me deixaria triste novamente pela falta "materializada" do meu avô, mas - graças a Deus - aconteceu o contrário: fiquei feliz demais! Estar com a minha família tem renovado as minhas energias de uma maneira indescritível e tenho valorizado muito - mais do que nunca - cada minuto com meus Nogueiras.

Mesmo a saudade me cegando de vez em quando, tenho consciência de que devemos aproveitar cada detalhe da nossa vida, principalmente quem amamos, pois nada - nem ninguém - é eterno. Tenho tentando passar por cima das minhas emoções e vencer meus traumas pois sei que no futuro esses momentos que tenho negligenciado me farão falta também. "É necessário esquecer o ontem, viver o hoje e esperar o amanhã."


Depois que a Naná terminou o meu cabelo, eu, o Léo e o meu pai fomos pra casa pois a Cris ligou pedindo para que eu arrumasse a mesa. Foi uma tarefa árdua pois havia muita coisa e a nossa mesa é bem pequena, mas - como a boa jogadora de Columns que sou - consegui colocar tudo o que merecia ser exposto nela.

Digo isso porque o bolo de banana ficou de fora. Eu simplesmente amo esse bolo mais do que qualquer outro (incluindo o de cenoura com calda de chocolate), mas fui tentar dobrar a receita que a minha sogra (que é quem sempre o faz) me passou e não deu certo. Não ficou ruim, mas muito farinhento... Longe de estar maravilhoso como o dela. Fiquei um pouco decepcionada comigo mesma, mas foi uma decepção relâmpago pois a minha torta de bacalhau ficou perfeita, igualzinha a da minha mãe e isso me encheu de orgulho!
 





Quando deu meia-noite estávamos apenas meu pai, o Léo e eu em casa. Nos abraçamos e a minha primeira ação depois disso foi pegar o celular pra mandar mensagem pro Lucas. Fiquei quase emocionada por ele ter mandando "Feliz Natal" no horário exato. Só conseguia pensar no quanto queria que estivéssemos todos juntos.

A Cris tinha ido pra casa da mãe dela depois que saiu da igreja e meu pai foi buscá-la para cearmos. Eles demoraram um pouco e - mesmo eu e o Léo estando mortos de fome - quando chegaram tiramos fotos na mesa antes de comer. Ps.: ela trouxe várias rabanadas! 




A torta de bacalhau e o pudim foram - sem dúvidas - os destaques da ceia, mas tudo estava extremamente gostoso. A Cris fez a farofa do jeitinho que eu e o meu pai queríamos: com ovo e linguiça, a ideia dela de colocar bacalhau no arroz foi muito boa e eu basicamente comi todos os pastéis sozinha! Kkk.  Ficamos com medo de estragar pois tinha comida demais para poucas pessoas e - ainda que tenhamos comido bastante - sobrou MUITA coisa!

Nós comemos, bebemos vinho, conversamos e na hora de guardar tudo me vi em um novo desafio: jogar de Columns com a geladeira! Kkk.

Challenge completed!

Havia combinado de passar no Lucas para dar um abraço nele e entregar o presente depois de meia-noite, mas acabou ficando tarde e meu pai guardou o carro. Isso me deixou um pouco chateada, mas sabia que ele passaria o dia 25 todo com a gente e fiquei contente novamente.

Fomos dormir tarde, mas - como não estava morrendo de sono - deu tempo de refletir e peguei no sono me sentido realmente abençoada.


No dia seguinte nós acordamos tarde, almoçamos a ceia e o meu pai foi buscar o Lucas. Apesar de ter chovido de madrugada, estava sol e muito calor e nós aproveitamos para ficar um pouco na piscina do Espaço da tia Marcela.

Lucas não quis sair na foto, se escondeu atrás da Nathália! Kkk.

Quando saímos da piscina fomos lá pra casa e tivemos o nosso clássico domingo semanal que tanto amo, mas - por ser natal e por não termos feito isso antes por minha causa - fiz questão de tirar ao menos uma foto com o Lucas e, é claro, tive que insistir até ele ceder! Kkk.

Foram inúmeras tentativas, chantagens, fotos escondidas e selfies forçadas até chegarmos nesse resultado. Mesmo com a minha cara lavada valeu a pena pela recordação! Kkk.

O "domingo clássico semanal" que mencionei acima consiste em ficarmos na sala e/ou no meu quarto conversando e/ou vendo série, filme ou futebol enquanto o meu pai dorme no sofá. Eu sempre como pipoca, o Lucas quase sempre come waffle de morango, meu pai sempre compra pão e o Léo come pipoca também, mas não gosto de dividir e quando tem pouca o obrigo a comer pão! Kkk.

Quem vê de fora pode considerar esses momentos simples e corriqueiros, mas a verdade é que são os mais especiais e marcantes de todos e sou privilegiada por ter consciência disso. Um dia tudo mudará e essas lembranças serão as mais valiosas, importantes e saudosas e é por isso que valorizo cada segundinho que passamos juntos. Os amo infinita e imensuravelmente.


A noite meu pai levou a Cris pra igreja e quando foi buscá-la levou o Lucas pra casa. O Léo ficou mais uma noite comigo e foi embora no dia seguinte.

A firma anunciou recesso até o ano novo e fiquei muito feliz pois pude ficar em casa a semana inteira com a minha família, mas esse é um assunto pra outra postagem.


E assim foi o meu natal: cercada das pessoas que me fazem verdadeiramente feliz. 

Mas há algo que não posso deixar de destacar pois estaria sendo desonesta  com vocês e - principalmente - comigo mesma:

"The happiest moments will also be a little sad."
👼🏻💞👼🏽💙👴🏻

Até a próxima!

Você também poderá gostar de:

1 comentários

  1. OOOOOOI

    que mesa bonita a da sua ceia
    Fiquei aqui com vontade de experimentar esse bacalhau HAHAH

    beijo
    www.beinghellz.com.br

    ResponderExcluir