Mil Beijos de Garoto – A Thousand Boy Kisses

10:59

Créditos da imagem: Na estante da Fabi.
  • Editora: Outro Planeta;
  • I.S.B.N.: 9788542209822;
  • Número de Páginas: 400;
  • Ano da edição: 2017;
  • Autor: Tillie Cole;
Um beijo dura um instante.
Mas mil beijos podem durar uma vida inteira.

Um garoto.
Uma garota.
Um vínculo que é definido num momento e se prolonga por uma década.
Um vínculo que nem o tempo nem a distância podem romper.
Um vínculo que irá durar para sempre.
Ou assim eles acreditavam.
Quando, aos dezessete anos, Rune Kristiansen retorna da Noruega para o lugar onde passou a infância – a cidade americana de Blossom Grove, na Geórgia –, ele só tem uma coisa em mente: reencontrar Poppy Litchfield, a garota que era sua cara-metade e que tinha prometido esperar fielmente por seu retorno. E ele quer descobrir por que, nos dois anos em que esteve fora, ela o deletou de sua vida sem dar nenhuma explicação.
O coração de Rune foi quebrado quando Poppy ficou em silêncio. Quando ele descobrir a verdade, entenderá que a maior dor ainda está por vir.


"Tão especial quanto especial pode ser."

Esse livro é magnífico.

Tão encantador, tão puro, tão cheio de amor.

Um amor legítimo e de tirar fôlego de uma maneira quase espiritual.

Rune e Poppy são almas gêmeas que se encontraram e se conectaram aos 5 anos de idade.

Quando o rebelde menino de longos cabelos loiros e belíssimos olhos azuis reclamava em frente a sua nova casa, revoltado por ter sido obrigado a se mudar da Noruega para os Estados Unidos, encontrou uma simpática menina de olhos verdes enormes e laço no cabelo que lhe contagiou com sua alegria.

"Eu sou Poppy Litchfield e você é Rune Kristiansen. Este é um aperto de mão. A minha vovó me disse que é o que você faz quando você não conhece alguém. Agora nós somos amigos. Melhores amigos."

Naquele momento ele aceitou, abraçou e amou a nova vida que estava por vir.

"Talvez Georgia não fosse ser tão ruim, afinal, pensei, não se eu tivesse Poppy Litchfield como a minha melhor amiga."

Quando eles tinham 8 anos e a vovó de Poppy estava prestes a voltar pra casa, Poppy foi presenteada por ela com um pote, mas não se tratava de um pote comum... Era o 1000 beijos-de-menino.

"Este frasco é para você gravar seus beijos-de-menino, Poppy. Todos os beijos que fazem seu coração quase explodir, os que são os mais especiais, os que você quer se lembrar quando você estiver velha como eu. Os que vão fazer você sorrir quando você se lembrar deles em sua mente. Quando você encontrar o menino que será seu sempre para sempre, cada vez que você receber um beijo muito-especial dele, tire um coração. Anote onde você estava quando você foi beijada. Então, quando você for uma vovó também como eu, o seu neto, seu melhor amigo, pode ouvir tudo sobre eles, assim como eu lhe disse tudo sobre os meus. Você vai ter um frasco de tesouro de todos os beijos preciosos que fizeram o seu coração disparar."

Poppy e Rune partilhavam todas as suas aventuras e quando ela contou para ele sobre essa, sentimentos novos afloraram em seu coração e o fizeram tomar uma decisão. 

"Eu vou te dar mil beijos, Poppymin. Todos eles. Nunca ninguém vai te beijar, mas eu sim."


E se antes eles já eram inseparáveis, a partir daquele momento se tornaram duas metades de um mesmo coração.

Aos 15 anos tudo ruiu.

O pai de Rune foi transferido temporariamente de volta para Oslo (cidade da Noruega) devido a uma falha na empresa e só o avisou na véspera da viagem.

"Nós somos uma família, Rune. Nós não vamos nos dividir por tanto tempo. Temos de ir. Nós somos uma família."

A separação era iminente, inevitável e dolorosa.

"Talvez nós sejamos como a flor de cerejeira, Rune. Como estrelas cadentes. Talvez nós tenhamos amado demasiadamente jovens e brilhado tanto que tivemos que desaparecer."

Mas eles prometeram um ao outro que não seria o fim, que se falariam todos os dias e que esperariam o tempo que fosse preciso.

A distância seria só um detalhe, pensei, se o que eles sentiam era tão avassalador quanto as palavras demonstravam, iriam resistir.

"Beijo número 356. Com o meu Rune em sua garagem... quando ele me deixou."

E resistiram durante dois meses.

Até que Poppy se calou, deixando Rune amargurado, vazio e sem respostas.

"Foi o segundo momento que definiu a minha vida.
Uma vida sem Poppy.
Sem infinito.
Sem sempre para sempre.
Somente… nada."

Dois anos depois o pai de Rune foi transferido de volta para Geórgia, definitivamente.

Rune voltou com inúmeras perguntas.
Poppy receou respondê-las.

Um reencontro, uma conversa, duras descobertas e, por fim, compreensão.

Poppy ainda precisava encher seu pote com beijos de explodir o coração e Rune decidiu ajudá-la em todas as aventuras que ela desejava viver. 

E a partir daí, o amor transborda em cada palavra, cada linha.

Emoção, carinho, superação, aceitação, força.

"Eu sou essa garota, Rune. Aquela que espera a tempestade simplesmente para ter um vislumbre de um arco-íris. Por que ser miserável quando você pode ser feliz? É uma escolha óbvia para mim."

Essa história me tocou profundamente por diversos motivos. Tanto Poppy quanto Rune nos dão constante lições valiosas no decorrer dos capítulos. A sensibilidade que a autora teve ao escrevê-la é mágica.

Caso decidam lê-la estejam preparados para sentir toda a dor e todo amor do mundo ao mesmo tempo.

Eu amei absurdamente.
Eu chorei absurdamente.
E, no fim, tive paz.

"— É como a música, — explicou ela. — Quando eu olho para você, quando você me toca, quando eu vejo seu rosto... Quando nos beijamos, meu coração toca uma música. Ele canta que precisa de você como eu preciso de ar. Ele canta para mim o quanto eu adoro você. Ele canta que eu encontrei a parte perfeita dele que faltava."

Você também poderá gostar de:

2 comentários

  1. Esse livro... como pode o coração quase não explodir?❤️
    Leitura obrigatória!!!
    Amei a resenha.❤️

    ResponderExcluir