The 4400

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Espero que sim!

Como prometido em posts anteriores, hoje trago a resenha dessa série espetacular que você provavelmente não conhece, mas deveria.

  • Criado por: Scott Peters e René Echevarria.
  • Ano de lançamento: 2004. 
  • Com: Joel Gretsch, Jacqueline McKenzie, Mahershala Ali e mais.
  • País: EUA.
  • Gênero: Drama, ficção científica, suspense.
  • Status: Cancelada.
  • Duração: 42 minutos.
No último século, milhares de pessoas desapareceram sem deixar rastro algum.
Quando um cometa muda de rota, vindo em direção a Terra, a extinção do ser humano parece eminente. Países de todos os cantos do planeta lançam mísseis nucleares na esperança de destruí-lo, mas os mísseis não fazem efeito pois não se tratava de um cometa.
A bola de luz entra na atmosfera e quando tudo parece estar acabado, sua velocidade é reduzida e ela aterriza num lago em Seattle. A luz diminui em um ponto intenso até explodir, deixando 4400 pessoas.
Todas essas pessoas estavam desaparecidas, algumas há meses e outras há mais de 50 anos, mas nenhuma envelheceu um dia sequer.
Todos ficam em quarentena, recebem uma pulseira de identificação e eventualmente voltam para suas famílias - quando ainda há.
A série gira em torno da vida de algumas dessas 4400 pessoas que retornaram e agora têm de retomar a sua vida interrompida.
Logo após serem liberados, alguns retornados começam a experimentar novas e inexplicáveis habilidades. Está nas mãos de Tom Baldwin e Diana Skouris, dois agentes, descobrir o mistério por trás dos 4400.


Escuto o nome dessa série desde criança (meu pai adorava/adora imitar o narrador kkk), mas nunca havia parado para assisti-la ou conhecer sua sensacional história. Ao ler a sinopse alguns podem torcer o nariz por considerá-la demasiadamente fantasiosa e/ou confusa, porém garanto que ela é surpreendentemente lógica.

Na resenha de 'Bates Motel' eu disse que uma das minhas características favoritas da série era não haver 'encheção de linguiça' nos episódios e The 4400 se encaixa perfeitamente nessa descrição. Todo diálogo é crucial e um acontecimento está totalmente interligado ao outro.

A história foi muito bem escrita, construída, sustentada e representada por seu elenco no decorrer das 4 temporadas.


No piloto - enquanto o suposto 'cometa' ameaça a existência humana - podemos sentir o medo da população e a agonia dos agentes da NTAC (The National Threat Assessment Command), porém esses sentimentos dão lugar à milhares de dúvidas e receios quando a bola de luz explode, deixando 4400 pessoas - algumas consideradas desaparecidas e outras já dadas como mortas - sem memória alguma do que as aconteceu em seus respectivos períodos de sumiço. O telespectador embarca junto com os personagens criando diversos questionamentos que parecem impossíveis de serem respondidos, pois - como se já não bastasse - todos continuam com a mesma idade do dia do desaparecimento.

A NTAC - órgão do governo - rapidamente recolhe todos os retornados, os cadastra e os coloca em uma espécie de quarentena durante algumas semanas para realizar uma bateria de testes e exames em cada um deles e, mesmo após liberá-los, continuam os monitorando.

Após retomarem suas vidas, alguns dos 4400 começam a apresentar habilidades extraordinárias como telepatia, telecinese, força, cura e etc e os agentes responsáveis pela investigação desses casos são Tom Baldwin e Diana Skouris.


Thomas Baldwin é ex-agente da FBI e tem um filho chamado Kyle. Diana Skouris é uma das melhores cientistas de campo da NTAC e é designada parceira de Tom no episódio piloto.

O que ambos não imaginam é que o envolvimento deles no caso 4400 deixará de ser exclusivamente profissional.


Apesar de ser uma série antiga o enredo traz à tona um debate totalmente atual que nos faz mudar de opinião constantemente. É inteligente, impactante e envolvente. 

Se você vivesse no cenário da história qual seria sua opinião sobre os 4400? Seria a favor ou contra? Teria medo ou os veria como heróis? Eles deveriam ser livres ou constantemente regulados? As habilidades precisariam ser inibidas ou poderiam ser mantidas?

“Não somos uma ameaça. Somos a salvação. O mundo terá que lidar conosco”.

Infelizmente a série foi cancelada após o término da 4ª temporada deixando seus fãs sem respostas. O motivo do cancelamento foi baixa audiência e conflitos internos, mas - graças a Deus - foram lançados dois livros que seriam respectivamente a quinta e sexta temporada. “Welcome to Promise City” de Geg Cox e “Promises Broken” de David Mack. Pretendo comprá-los e lê-los o mais breve possível.


E vocês, já assistiram essa série? Se sim, o que acharam dela? Se não, têm vontade? Me contem nos comentários!

Até a próxima.

Você também poderá gostar de:

4 comentários

  1. Oi Bella!
    Menina, que série louca é essa? Estou surpresa com este enredo e muito ansiosa para assisti-lo. Aliás, onde eu poderia encontrá-lo? E por ele ter sido infelizmente cancelado, eu gostaria de saber: mas e o final, foi bom ao menos?

    Obrigada pela indicação!:)

    Um cheiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, tem na Netflix!
      Ainda não li o final dos livros, mas em relação a série ficou muito em aberto, sabe? Fica um vazio muito grande se não ler os livros e estou em busca deles.
      Vou entrar no seu blog pra saber se você já começou a assistir! :)

      Excluir
  2. A série parece muito boa para ter sido cancelada! Gostei bastante do enredo.

    Beijinhos,
    AmigaDelicada.com.br

    ResponderExcluir