Balanço Anual – 2016


2016 chegou ao fim e eu não poderia deixar de fazer o balanço do mesmo, assim como fiz ano passado. Dessa vez vocês puderam acompanhar a maioria dos acontecimentos em tempo real através das postagens, mas ainda assim há coisas que não foram ditas e lições que foram aprendidas e merecem ser compartilhadas (e registradas).

O primeiro mês foi tão incrível que eu não conseguia acreditar que, finalmente, tudo estava dando certo na minha vida, mas não demorou muito para as coisas desandarem.

  • JANEIRO:
O 'Me chama de Bella' ganhou seu primeiro layout responsivo exclusivo de presente do meu paizinho. Estava sem dinheiro e ele pagou pra mim. Fiquei muito feliz, animada e grata!

Logo nas primeiras semanas de janeiro consegui o emprego que tanto almejei em 2015. Foram centenas de currículos enviados e após a experiência desastrosa que tive no Jovem Aprendiz, foi um presente trabalhar em um ambiente que parecia ser tão organizado. A única parte desagradável era o fato de eu ser do setor comercial, mas estava tão grata e determinada que não me importei.

Meu irmão, Lucas, completou 16 anos e comemoramos do meu jeito favorito: Nós 4 (eu, meu pai, ele e o Léo) juntos! Pra variar fomos ao shopping, mas nem me importo com os passeios repetidos. Na verdade amo pois se tornou uma tradição nossa! Rs. Nesse aniversário me dei conta do quanto meu irmãozinho cresceu... Há pouco tempo ele era uma criança e hoje já está do meu tamanho, com feição de homem, pelo nas pernas e voz mais grossa. O tempo voa!

Estava planejando entrar na faculdade no segundo semestre do ano, mas – para minha surpresa – ganhei uma bolsa para o curso dos meus sonhos: Direito. Nunca vou esquecer daquele momento... Estava no escritório quando recebi um e-mail do Centro Universitário me parabenizando pela bolsa. Minha primeira reação foi ligar pro meu pai e chorar. Senti que o sonho de ser Delegada Federal era possível. 

O Léo também conseguiu uma bolsa para cursar Fisioterapia – que faz parte do sonho dele de atuar na área da saúde –, mas infelizmente a faculdade não conseguiu formar turma e ele consequentemente a perdeu. Foi muito difícil vê-lo passar por isso, mas tentei encorajá-lo ao máximo a tentar novamente no segundo semestre.

  • FEVEREIRO:
Meu pai comprou todos os meus materiais para faculdade: Mochila, cadernos, estojo, agenda, canetas e etc e fiquei muito feliz porque ele escolheu tudo do jeitinho que eu queria.

Dia primeiro de fevereiro tive minha primeira aula na faculdade e foi sensacional pois – além de tudo – a minha turma foi a primeira turma de Direito da história do Centro Universitário. A todo momento fomos tratados como a concretização de um sonho e foi mágico saber que éramos de fato.

Cortei o meu cabelo para me livrar das pontas ressecadas e com o objetivo de conseguir fazê-lo crescer de forma saudável. 

Reencontrei amigos do ensino médio no final de semana que antecedeu o meu aniversário. Fomos em um rodízio de pizzas e foi ótimo matar a saudade de todos eles. Pude perceber que o tempo e a distância não acabam com amizades verdadeiras.

Meu aniversário caiu na segunda-feira, mas tive folga no trabalho. The Walking Dead retornou na madrugada do dia 15 e assisti com o Léo. Quando o episódio acabou ele me deu presentes lindos! <3. De dia fomos em outro rodízio de pizzas (sim, fui de novo) e depois no cinema assistir Deadpool. Quando voltamos para a casa do Léo, minha cunhada havia comprado um bolo pra mim e cantamos parabéns! Fiquei muito feliz pois queria muito um bolo de aniversário. Recebi mensagens maravilhosas no facebook e algumas me tocaram profundamente. 

Minha sobrinha, Esther, foi batizada na Igreja de Nossa Senhora da Glória do Outeiro e após o batismo fomos almoçar na Feira de São Cristóvão.

Minha colega de trabalho foi demitida e tive que lidar com essa situação pela primeira vez.

  • MARÇO:
Março foi um dos meses mais difíceis da minha vida e é extremamente delicado falar sobre ele. Houveram muitas manifestações políticas e também foi o mês de estreia do filme 'Batman VS Superman', mas essas coisas se tornaram minúsculas para mim de um dia pro outro.

Minha menstruação estava atrasada desde janeiro e em março descobri que estava grávida através de um teste de farmácia. Me tornei outra pessoa, tanto por ficar desesperada com a notícia quanto pelos hormônios que estavam à flor da pele. Estresse e cansaço extremos já faziam parte da minha rotina. Fiz uma transvaginal dia 17 de março e pude ouvir os batimentos cardíacos do meu filho. 8 semanas e 1 dia. Queria poder dizer que fiquei atordoada de felicidade, mas não foi bem assim. Me emocionei, mas estava tão fora de mim que não conseguia administrar e nem entender tudo o que estava acontecendo. 2 dias depois o perdi. Senti tanta dor que pensei que fosse morrer e, ironicamente, somente naquele momento pude senti-lo dentro de mim. Durante a perda me reconheci como mãe. mas já era tarde.

Tive que ficar internada e recebi um atestado médico de 15 dias. Fiquei uma semana na casa do Léo em repouso e uma semana na minha casa. No começo pensei que seria ruim ficar todo esse tempo sem me ocupar, mas depois percebi que foi necessário para que eu pudesse viver o meu luto. 

Passei a Páscoa em casa e me fez um bem indescritível. Não houve nada demais, mas é sempre revitalizante conseguir reunir o meu pai, o Léo e o meu irmão. Eu e o Léo compramos chocolates para dar de presente pra mãe dele, pro meu pai, pro meu irmão e pra nossa sobrinha. 

Parecia que esse mês nunca ia acabar, mas acabou. Tive muito apoio e suporte do Léo e do meu pai, mas inevitavelmente tudo o que aconteceu levou partes de mim que eu jamais conseguirei recuperar.

  • ABRIL:
Em abril tivemos a votação do impeachment da Dilma na Câmara dos Deputados e vencemos por 367 a favor X 137 contra X 7 abstenções.

O Léo me presenteou com um domínio GoDaddy pro blog e eu amei! Consegui instalá-lo sozinha e fiz um post tutorial de como fazê-lo.

Meu pai fez 45 anos dia 21, mas nós só o vimos dia 24. Fizemos nosso passeio tradicional, mas dessa vez – infelizmente – o Lucas não foi porque viajou com a mãe. Vimos um filme péssimo, mas tiramos foto na cabine do shopping e foi super divertido e engraçado!

Visitei uma tia com o Léo no hospital pois ela descobriu que estava com um tumor e precisou fazer uma cirurgia de emergência, mas Deus foi fiel e tudo correu bem.

Meu relacionamento passou por uma fase complicada devido ao que nos aconteceu. Estávamos sofrendo de formas distintas e era muito difícil compreender os sentimentos do outro.

Decidi que só retornaria para a faculdade no próximo semestre pois estava sem condições de retomar meus estudos após o término da licença, mas voltei para o trabalho.

  • MAIO:
Em maio o Botafogo disputou a Final do Campeonato Carioca contra o Vasco e eu, meu pai, o Lucas e o Léo fomos nos dois jogos, sendo um deles no dia das mães. Perdemos por 1X0 no primeiro jogo e empatamos em 1X1 no segundo, ou seja, perdemos o título. Fiquei bem chateada porque o presente de dia das mães que dei pro meu pai foram os ingressos do segundo jogo (dele e do Lucas), mas o que vale é estar com eles e a intenção, né? Rs

Assisti 'Capitão América 3: Guerra Civil' com o Léo.

O processo de impeachment foi instaurado após a votação no Senado (vencemos por 55X22) e a Dilma foi afastada do cargo por 180 dias.


Minha tia-avó casou e fez um almoço em comemoração na casa da minha avó. Foi muito bom porque conseguiram reunir todos os parentes e a casa ficou cheia novamente! 

Li 'Como eu era antes de você' no feriado de Corpus Christi depois de 1 ano e 4 meses sem ler nenhum livro e ele ajudou a me distrair, pois ainda não havia me recuperado do trauma da perda e a minha mente estava completamente conturbada.

  • JUNHO:
2016 foi o ano dos filmes, né? Assistimos (sempre que eu usar o plural da 1ª pessoa estou me referindo ao Léo) 'X-Men: Apocalipse'.

Não lembro exatamente em que mês decidi trocar de curso, mas em junho consegui uma bolsa para cursar administração na UVA. Estava decidida e determinada a recomeçar a minha vida após a perda irreparável. Fiquei contente por ter conseguido, mas não me empolguei. O Léo conseguiu novamente a bolsa para cursar Fisioterapia, dessa vez na Estácio, e a turma foi formada! Vê-lo alcançando esse objetivo novamente me encheu de orgulho e (aí sim) empolgação.

Nosso dia dos namorados se tornou um fim de semana dos namorados! Rs. Estávamos precisando fazer algo assim e foi revitalizante pra nós, individualmente e como casal. Na sexta-feira fomos para um rodízio de pizzas e depois ao cinema. O Léo queria ver 'Invocação do Mal 2', mas aceitou ver 'Como eu era antes de você' e quase me fez chorar. No sábado passeamos na Praça Mauá pela primeira vez após a reforma e tiramos várias fotos, quando anoiteceu fomos lanchar em uma hamburgueria na Pedra do Sal e, como estava rolando um evento por lá, acabamos encontrando alguns amigos e passando o resto da madrugada com eles. No domingo, dia 12, ficamos juntos sem fazer absolutamente nada... Tão bom! A noite teve churrasco na casa dele pra fechar com chave de ouro esses 3 dias maravilhosos que passamos juntos.

Tudo parecia estar começando a dar certo novamente.

  • JULHO:
Em julho consegui convencer o Léo a me levar no meu bar preferido após 8 meses sem irmos e matei a vontade de tomar caipirinha de limão com acerola.

Começamos a assistir 'Bates Motel' e ficamos completamente viciados! É uma série diferente das que costumamos assistir e extremamente bem produzida.

Meu presente de dia dos namorados - que eu esperei por mais de 3 anos - finalmente chegou.

Houveram várias festas julinas, mas a minha preferida foi o 'Arraiá da Família Nogueira' – é bem raro ter alguma festa na casa da minha avó, mas quando tem é sempre marcante pra mim pois me faz lembrar dos velhos tempos, quando meus bisavós ainda estavam conosco.

  • AGOSTO:
Agosto foi um mês muito movimentado pois tivemos: Dia dos pais, olimpíadas, aniversário de namoro, viagem, nascimento da minha irmã e pedido de casamento! 


No dia dos pais, adivinhem, nós 4 (eu, meu pai, o Lucas e o Léo) fomos ao shopping! Kkkk.  Era dia de jogo do Botafogo, mas assistimos 'Esquadrão Suicida' e fizemos uma aposta com o Lucas: Se o Botafogo – que ao entrarmos na sala de cinema estava perdendo – virasse o jogo, ele teria que entrar na cabine de fotos com a gente. Ele aceitou porque achou que o Botafogo não viraria, mas – pasmem – o Botafogo virou! Infelizmente a cabine não estava no shopping, porém tiramos uma selfie e a aposta foi paga.

Viajamos em comemoração ao nosso aniversário de 4 anos de namoro no dia 18. Começamos a namorar dia 19/08/12 e esse ano decidimos ir para Paraty. Ficamos apenas 3 noites, mas foi suficiente para relaxarmos e conhecermos muita coisa nova. No dia em que chegamos passeamos pelo Centro Histórico, fizemos o passeio de charrete, almoçamos num restaurante lindo e a noite comemos pizza e açaí na pousada mesmo pois estávamos muito cansados. Dia 19 fizemos um passeio de barco privativo, almoçamos, voltamos para a pousada para nos arrumarmos, passeamos pelo Centro Histórico e fomos jantar num lugar incrivelmente lindo que parecia ter sido reservado pra nós... Resultado: Saí de lá noiva! <3. Dia 20 almoçamos, passeamos pelo Centro Histórico e compramos algumas coisinhas... O tempo estava meio chuvoso, então compramos alguns quitutes e assistimos a final do Futebol na pousada mesmo (Brasil conseguiu seu primeiro ouro!). Dia 21 fomos embora morrendo de vontade de ficar um pouco mais. Com certeza marcou a nossa história e o pedido de casamento não poderia ter sido mais perfeito.

Recebemos a notícia do nascimento da minha irmã durante o passeio de barco e eu fiquei extremamente feliz e aliviada por tudo ter corrido bem com a minha mãe no parto. Sempre quis uma irmãzinha e a única parte ruim é ela estar longe de mim.

Minhas aulas começaram logo após o término das Olimpíadas e desde a minha primeira aula de EPO (Estruturas e Processos Organizacionais) tive a certeza que fiz a escolha certa ao trocar de curso.

Dilma foi definitivamente impeachmada, mas teve os seus direitos políticos mantidos.

  • SETEMBRO:
Setembro foi um mês de altos e baixos. Desde o fim de agosto estava com suspeitas de gravidez, mas deixei isso de lado pois os meus sintomas não estavam tão intensos quanto da primeira vez e imaginei pudesse ser psicológico.

O Léo faz aniversário dia primeiro e fiz uma surpresa pra ele. Simples, mas de coração. Ele se emocionou e isso me deixou muito feliz. Minha cunhada comprou um bolo pra ele e cantamos parabéns. Como o aniversário caiu numa quinta-feira nós não saímos, mas no dia seguinte fomos novamente para o meu bar favorito comemorar o aniversário dele com vários amigos. Foi, sem sombra de dúvidas, o melhor aniversário que ele já teve e o quinto que passamos juntos.

Dia 12 descobri que estava grávida através de um teste de farmácia... De novo. Dessa vez eu estava mais centrada, eu e o Léo tínhamos nos organizado financeiramente e eu me vi recebendo o melhor presente da minha vida. É lógico que tanto eu quanto ele estávamos nervosos, mas extremamente felizes e fazendo diversos planos que tinham tudo para dar certo.

Dia 18 perdi meu filho... De novo. Estava em Belford Roxo com meu pai, com o Lucas e com o Léo quando o sangramento começou. Não senti dores físicas, mas senti que estava o perdendo. Foi doloroso e cruel. Meu pai me socorreu, mas optei por não ficar internada. Fui a alguns médicos no decorrer da semana, mas deixei meu corpo agir naturalmente. Independente do que me diziam eu só conseguia me sentir um lixo.

Só recebi três dias de atestado, mas nunca mais voltei a trabalhar. A história é longa, suja e não merece ser exposta aqui, mas sei que agi corretamente ao não ter aceito me sujeitar a condições inviáveis de trabalho.

Voltei a falar com a minha ex-madrasta, mãe do meu irmão. Foi algo muito importante pra mim pois foi ela que me educou e me ensinou grande parte de tudo o que sei. Aconteceram muitas coisas entre nós, mas acredito que nada deva superar todos os momentos bons que vivemos como uma família. Me fez um bem enorme.

Participei da festa surpresa que foi feita pra minha prima em Belford Roxo e da festa surpresa que foi feita pra minha cunhada no Rio.

Não desisti da faculdade pois realmente me identifiquei com o curso, mas faltei muitas aulas e tive que correr atrás do prejuízo – o que de certa forma foi bom, pois me ocupou bastante.

Fui ao cinema sozinha pela primeira vez na vida e vi uma animação que falava sobre bebês 'Cegonhas: A história que não te contaram'. Chorei.

Eu e o Léo começamos a assistir The 4400 e já estávamos torcendo pelo Cristopher Clark no X Factor há um tempo.

Mas mesmo com tantas coisas acontecendo eu só conseguia pensar no meu bebê, nos meus bebês. Ambos tinham nome e na última gravidez nós já tínhamos visto uma casa com dois quartos para morarmos. Eu já tinha até comprado uma chuteirinha do Botafogo. Parecia que haviam arrancado minhas pernas e meus braços. Em qualquer atividade era como se eu estivesse no piloto automático. Passei a ter crises existenciais toda a noite e um medo incontrolável da morte que me causava falta de ar. Foi um período enlouquecedor para mim e para o Léo que se estendeu por um bom tempo.

  • OUTUBRO:
The Walking Dead voltou do hiatus e MasterChef estreou.

Fui ao estádio duas vezes: A primeira com o Léo e a segunda com ele, meu pai e meu irmão.

O Freixo, graças a Deus, não foi eleito como prefeito.

Fomos prestigiar o amigo do Léo, Luizinho, em sua colação de grau. Ele se formou em administração pela UERJ. Foi muito emocionante!

Continuei com as minhas crises cada vez mais profundas, medos cada vez mais intensos e uma tristeza que não cabia dentro de mim.

  • NOVEMBRO:
Em novembro meu pai, mais uma vez, agiu como um anjo na minha vida: Chamou o meu tio Nilson (que é pastor) para conversar comigo sobre tudo o que eu estava sentindo e para fazer uma oração por mim. Foi muito especial e o Léo também estava presente. Meu pai estava doente e estávamos aguardando o resultado da bateria de exames que ele fez e meu tio também orou por ele e pelo Léo. Desde aquele dia nunca mais tive nenhuma crise, graças a Deus! 

No começo do mês fomos prestigiar o Luizinho pela sua formatura novamente, mas dessa vez na festa de gala. Tudo estava maravilhoso e ficamos muito felizes de estar com ele nesse momento tão importante e significativo.

Não conseguimos fazer o enem porque chegamos da festa de manhã, mas o Lucas fez pela primeira vez e fiquei muito orgulhosa do meu bebezinho que já não é mais tão bebezinho assim.

Fomos no AquaRio no dia da inauguração e ficamos deslumbrados com tudo o que vimos por lá. Superou todas as nossas expectativas.

O blog completou seu primeiro ano de idade e conseguiu sua primeira parceria.

Ficamos ilhados na Pedra do Sal sexta-feira a noite, tivemos que voltar pra casa correndo na chuva e foi um dos passeios que mais demos risadas.

Os resultados dos exames que o meu pai fez chegaram e, graças a Deus, ele não estava com nada muito grave! <3

Depois de meses fiz vários amigos na faculdade. Se eu soubesse que na minha turma haviam tantas pessoas boas teria me esforçado para que isso tivesse acontecido antes.

Passei um final de semana inteiro estudando pela primeira vez na minha vida e, graças a Deus, valeu a pena.

Aconteceu a tragédia com o avião da Chapecoense que chocou e tocou o Brasil e o mundo.

  • DEZEMBRO:
O Léo finalmente aceitou assistir House comigo. Começamos pela primeira temporada e eu não poderia estar mais feliz com isso pois já faz anos que peço e ele nega! Kkk.

O Botafogo se classificou para a Copa Libertadores de 2017 no ano em que todos tinham certeza que ele seria rebaixado.

Consegui um excelente estágio (financeiramente falando) quando menos esperava e estou muito grata a Deus por essa bênção.

Com a ajuda de pessoas maravilhosas (meu pai, Rodrigo Bueno, Thiago Oliveira, Renatinha Ribeiro e Leonardo Almeida) fui aprovada em todas as matérias do 1º período. Mais uma bênção que não tenho palavras para agradecer a Deus.

Em meio a várias crises, creio que eu e o Léo tenhamos encontrado o nosso equilíbrio e retomado o rumo do nosso relacionamento. <3

Tive a oportunidade de passar mais um Natal com as pessoas que mais amo no mundo.
_

2016 foi um ano extremamente desafiador. A retrospectiva ficou extensa, porém nenhuma palavra é capaz de traduzir a montanha-russa de sentimentos que invadiram o meu ser. Tenho muito a agradecer a Deus pois se não fosse por Ele não sei se estaria de pé hoje. Diversas vezes pensei que não fazia mais sentido viver, mas hoje consegui encontrar meu equilíbrio. 

A ferida na minha alma jamais cicatrizará pois não há nada que supra a perda de dois filhos, mas hoje tudo o que faço é em prol deles e é isso que me conecta a eles e me mantém sã.

Meu pai, meu irmão e meu noivo são as pessoas que mais amo no mundo e ainda que não houvesse nada de bom para dizer, saber que eles continuam respirando é o meu maior presente;

Em 2017 pretendo continuar evoluindo e ser a melhor versão de mim mesma. Correrei atrás dos meus objetivos e porei Deus em primeiro lugar pois só assim serei capaz de alcançá-los. 

Que vocês sejam extremamente felizes, saudáveis e tenham muita fé, pois é através dela que nos mantemos firmes durante as inevitáveis dificuldades da vida. 

Obrigada pela companhia e pelo carinho. Esse é só o primeiro de muitos posts que virão.

Até as próximas! <3

Você também poderá gostar de:

0 comentários