Chapecoense

12:18

Há alguns anos eu era fanática por futebol. Acompanhava todos os campeonatos e conhecia o elenco de todos os clubes. Não perdia um jogo sequer e adorava ir ao estádio com meu pai e com meu irmão assistir o Botafogo.

Durante toda a minha vida e, principalmente nessa fase, ouvi de muitas pessoas que não valia a pena gritar, chorar, se estressar, ficar triste ou gastar dinheiro com futebol. Diziam também que os jogadores não se importavam com os torcedores porque ganhavam milhões chutando uma bola. Na época eu ficava com muita raiva, mas hoje sinto pena. Pena porque quem pensa dessa forma certamente não é capaz de compreender as maravilhas que o futebol promove e todo o sentimento que ele contempla.

Com o passar do tempo meu fanatismo diminuiu consideravelmente por inúmeros motivos, porém - quando se conhece esse esporte da maneira que conheci - é impossível deixar de amá-lo. O futebol é amor. 


Na madrugada de terça-feira, o avião que levava a delegação da Associação Chapecoense de Futebol, caiu. A equipe viajava para Medellin, na Colômbia, onde disputaria o primeiro jogo da FINAL da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional. Haviam 77 pessoas à bordo da aeronave, entre elas: jogadores, comissão técnica, dirigentes, jornalistas e tripulação. Apenas 6 sobreviventes.

71 vidas foram prematuramente interrompidas. Algumas enquanto exerciam suas respectivas profissões e outras enquanto buscavam a realização de um sonho em comum.


"A Associação Chapecoense de Futebol foi fundada em 10 de maio de 1973 e, atualmente, é o maior, mais vitorioso e bem estruturado time de futebol profissional da região oeste de Santa Catarina. Sua origem está ligada ao fato de que, na década de 1970, a região possuía apenas alguns times amadores, sendo inexpressiva em relação ao futebol profissional. Com o propósito de reverter esta situação, alguns desportistas da cidade, jovens apaixonados pelo esporte, decidiram se reunir para criar um time de futebol profissional para a cidade. Entre os presentes nos primeiros encontros, destacam-se Alvadir Pelisser, Heitor Pasqualotto, Altair Zanella, representante do clube Independente, Lotário Immich e Vicente Delai, representantes do Clube Atlético de Chapecó. De maneira geral, pode-se dizer que a Associação Chapecoense, posteriormente um dos grandes do futebol catarinense, surgiu da união dos clubes Atlético Chapecó e Independente." (Fonte: www.chapecoense.com)

Aos 43 anos de idade a Chape já realizou grandes feitos. Entre eles os seguintes títulos: 5 vezes campeã do Campeonato Catarinense (1977, 1996. 2007, 2011 e 2016), Campeã da Copa Santa Catarina (2006), Campeã da Taça Santa Catarina (1979 e 2014) e Campeã da Taça Plínio Arlindo de Nês; Além disso, ao disputar a Copa do Brasil em 2009, obteve acesso a série D do Brasileirão e no mesmo ingressou na série C, que passou a disputar em 2010. Em 2012 obteve acesso à série B, disputou em 2013 e garantiu seu passaporte para a elite do futebol brasileiro, série A, onde o verdão catarinense se mantém até hoje! 

Mas, dentre todas essas glórias, há uma - ainda não citada - que fez a Chapeterror - como foi carinhosamente apelidada - ser mundialmente reconhecida:


Essa defesa milagrosa do goleiro Danilo, com a narração emocionante do Deva Pascovicci, levou a Chapecoense à final da Copa Sul-Americana.

A Copa Sul-Americana (Copa Sudamericana, em espanhol) é uma competição internacional de clubes de futebol da América do Sul, organizada pela Confederação Sul-Americana de Futebol (CONMEBOL).


A Chape conquistou todas as torcidas do Brasil após conseguir fazer a sua melhor campanha da competição internacional, três anos após sua estreia na Série A do Campeonato Brasileiro:

Chapecoense x Cuiabá – Segunda Fase.

A história do verdão do oeste começou em 25 de agosto, na segunda fase da Copa Sul-Americana, e não foi nada fácil. Os catarinenses tiveram pela frente o Cuiabá e perderam a primeira partida por 1 a 0, no Mato Grosso. Provando a força da Arena Condá, a Chapecoense conseguiu impor a sua superioridade e saiu vitoriosa por 3 a 1 na semana seguinte. Os gols foram marcados pelo ídolo e artilheiro Bruno Rangel, que balançou as redes por duas vezes e Lucas Gomes, que anotou o terceiro. O resultado colocou o verdão na rota do Independiente da Argentina, maior campeão da Libertadores.

Chapecoense x Independiente-ARG – Oitavas de final.

As apostas eram totalmente contrárias à equipe brasileira nas duas partidas contra os argentinos, que mesmo anos sem vencer a Libertadores da América, ainda reinam como os maiores campeões da competição com sete títulos. As dificuldades se comprovaram nas duas partidas.

Jogando em Avellaneda, a Chapecoense conseguiu segurar a pressão da equipe Roja e levou um ótimo empate para decidir o seu futuro em Chapecó. Mas os Hermanos não entregaram o osso com facilidade. Mais um jogo recheado de tensão e sem gols entre os dois times, que acabaram levando a decisão da vaga nas quartas de final para as penalidades.

O goleiro Danilo apareceu para brilhar e defendeu quatro de oito cobranças para garantir a vitória por 5 a 4, além da passagem para enfrentar o Junior Barranquilla da Colômbia na fase seguinte.

Chapecoense x Junior Barranquilla-COL – Quartas de Final.

A Chapecoense não teve uma vida fácil para chegar em Barranquilla, na Colômbia. Após quase dois dias de viagem, o time sentiu o cansaço e viu os adversários vencerem por 1 a 0, fazendo a necessidade de se reverter o resultado na Arena Condá com pelo menos dois gols de diferença.

Com muita intensidade e forte apoio da torcida, o verdão conseguiu atropelar os rivais por 3 a 0, com gols de Ananias, Thiego e Gil. Mais uma vez a vida não seria fácil na semifinal: o San Lorenzo estaria em seu caminho rumo à final histórica.

Chapecoense x San Lorenzo-ARG – Semifinal.

Mais um campeão da Libertadores no caminho da Chapecoense e muita tensão nas duas partidas. O San Lorenzo da Argentina conheceu a força da Chape, que não se intimidou no Estádio Nuevo Gasômetro. Após sair atrás no placar, os brasileiros buscaram o empate e levaram um ótimo resultado para Santa Catarina.

Na Arena Condá, a Chapecoense precisou segurar a pressão dos argentinos para dar um flechada na América e deixar o Brasil inteiro encantado com a possibilidade de um título inédito para o pequeno clube. O goleiro Danilo mais uma vez mostrou que era um dos principais goleiros do Brasil no momento e fez uma ótima defesa no último lance do jogo para comemorar a vaga na final, que infelizmente se tornou também a sua passagem para a maior tragédia envolvendo um clube brasileiro na história.

*O resumo da campanha foi retirado do site www.jovempan.uol.com.br.


É impossível não se emocionar ao assistir esse vídeo. Essa foi a comemoração dos jogadores após a vitória. O clima era de felicidade e gratidão... O time pequeno de Chapecó, em quem ninguém apostada nada, surpreendeu a todos! Comandada pelo técnico Caio Júnior, a chapeterror venceu campeões mundiais e estava prestes a fazer história conquistando seu primeiro título internacional.

Eles cativaram o Brasil na busca pelo sonho que se tornou o nosso.


No avião o clima era um pouco diferente, mas a alegria continuava: menos empolgação, mais concentração. Não poderiam imaginar que nunca chegariam ao seu destino e que jamais disputariam a tão aguardada final. 


A delegação da Chapecoense pretendia seguir do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, para Medellín num voo fretado da Lamia, que opera a partir da Bolívia. A Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) vetou o fretamento. Informou que o acordo com a Bolívia não prevê voos como o solicitado pela Chapecoense. A direção do clube, então, mudou os planos: faria a viagem em duas etapas. O grupo seguiu na tarde de segunda-feira (28) num voo comercial da empresa boliviana BoA até Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia, onde chegou às 19h12, horário de Brasília. Lá trocou de aeronave. Pegou o avião da Lamia, que já esperava pela delegação em Santa Cruz. A aeronave era um Avro RJ85, de fabricação britânica, muito usado para voos regionais nas décadas de 1980 e 1990 e que deixou de ser produzido em 2002. O avião da Lamia decolou de Santa Cruz de la Sierra em direção a Medellín.

Embora as autoridades colombianas ainda não tenham se pronunciado oficialmente sobre as possíveis causas da queda do avião da Chapecoense, ganha cada vez mais força a hipótese de falta de combustível. Miguel Quiroga, piloto do avião, alertou a torre de controle do aeroporto que o aparelho “tenha uma pane elétrica total” e que estava “sem combustível” antes de perder o sinal de radar, segundo confirma um áudio divulgado por vários jornais colombianos com a conversa entre o comandante e a controladora do aeroporto. O voo da companhia boliviana LaMia pediu “aproximação imediata”, mas, à sua frente, como se pode escutar na gravação, outras aeronaves faziam procedimento de pouso.

A legislação da Bolívia, de onde é a empresa aérea do jato, a LaMia, determina que o avião tenha combustível suficiente para chegar ao destino, a um aeroporto alternativo ou para 30 minutos a mais que o tempo de voo. Pelo entendimento do governo colombiano, o piloto não teria cumprido o plano de voo aprovado pelas autoridades aéreas.



Receber essa notícia ao acordar causou em mim um mix de sensações que, por mais que eu tente, não conseguirei descrever com exatidão. Primeiro pensei que fosse mentira, depois meu estômago embrulhou. Chamei meu pai no whatsapp e ao ler a mensagem dele ("chorei muito") não consegui me segurar. Pensei no meu irmão (porque ele treina em um clube), pensei na dor dos familiares que perderam entes queridos repentinamente, pensei nas dificuldades que cada um teve que enfrentar para se tornar jogador profissional, pensei no momento incrível que eles estavam vivendo... "Por que, meu Deus?!". Doeu tanto que parecia que eu os conhecia.

No fim de semana anterior, eu, meu pai e meu noivo conversávamos sobre a Chape e eu fiquei bastante surpresa pois não sabia de toda a evolução... Via as páginas do facebook elogiando o clube, mas - como não estava acompanhando os campeonatos - não imaginava a intensidade.

Ao assistir TV e ouvir o rádio, percebi que não era apenas eu e o meu pai que estávamos nos sentindo assim... Foi a primeira vez que eu vi o Brasil inteiro de luto. 


Trecho do texto e imagem retirados do blog www.radardabola.com.

"Acima de tudo, e nos chamem mesmo de loucos porque sabemos tudo que há de errado, é paixão. Não é só futebol. Nunca foi. Nunca será. Nós podemos ser rivais, mas só quem ama um time entende quem ama o outro. Quem sofre no estádio, entende o sofrimento do outro. Hoje, mais do que nunca, infelizmente por uma tragédia, o futebol deixou claro que essa paixão sempre nos uniu. E quis o destino, não sei se ironicamente, que fosse o time que mais significava união. A Chapecoense era a ‘ChapeTerror’ de todo mundo. Era o time que surpreendeu, cresceu e apareceu. Bateu de frente com tudo e todos e mostrou que o futebol ainda respira. Mostrou que é possível, sim, ainda simpatizar com mais um time. Já era e se tornou ainda mais o segundo time de todos. A Chape era a Chape. Não precisava mais de Cha-pe-co-en-se. Era nossa Chape. Assim, como se já estivéssemos íntimos.

A Chape sorriu para nós, loucos. Sorriu como aquela paixão nova, que nos faz vibrar, que nos faz querer saber mais, que nos une. Um amor que todos em Chapecó já sabiam que era irresistível. E não, a Chape não veio como quem não quer nada e nos conquistou. Muito pelo contrário, ela veio querendo tudo. Ela veio sabendo do que queria, do que era capaz e quis dar ainda mais. Ela tomou seu espaço de direito. Sorriu, piscou e nos abraçou.

Não teve quem não se apaixonasse. A Chape era símbolo de tudo que acreditávamos. Era o futebol guerreiro, sofrido, alegre, lutador. Éramos nós lutando. A identificação não podia ser maior. E é por isso que ontem foi uma facada na nossa garganta. Um grito que ficou engasgado e que machuca muito mais do que qualquer gol pronto perdido. Qualquer classificação que escapa pelos pés. É uma dor que nós, loucos, mesmo distantes, também sentimos. Porque não é só futebol. É paixão, é amor, é união.

Quis o destino, tragicamente, que fosse você, Chape. Você que nos fez relembrar tantas coisas, também nos relembrasse do que o futebol é inicialmente feito. Você só queria conquistar seu espaço no Brasil e quis ir pras Américas. No fim das contas, conquistou o mundo. A ironia é que só podia ser você, Chape. Mostrar não só para nós, loucos, mas para o mundo todo do que o futebol é feito. Mais do que isso, do que a humanidade é feita.

Hoje, mais do que nunca, somos todos Chapecoense." (Thays Kloss)


Diversas emocionantes homenagens foram prestadas ao clube e a charge acima é uma delas. É um jeito bonito de tentar encarar a tragédia: "Subiram tanto que chegaram ao céu" [...] Gostaria de destacar todas nesse post, mas como não será possível selecionei as que mais me tocaram:

1- Nacional pede que Chapecoense seja declarada campeã da Sul-Americana.

"CAMPEÓN DE LA SUDAMERICANA
Atlético Nacional solicita a Conmebol que el título de la Sudamericana sea entregado a Chapecoense.

El dolor embarga rotundamente nuestros corazones e invade de luto nuestro pensamiento. Han sido horas lamentables en las que hemos estado consternados con una noticia que nunca quisimos haber escuchado. El accidente de nuestros hermanos del fútbol de Chapecoense nos marcará de por vida y desde ya dejará una huella imborrable en el fútbol latinoamericano y mundial. Todo esto ha sido completamente inesperado, por eso el dolor. Se trataban todos ellos, futbolistas, Cuerpo Técnico, periodistas y tripulación, de personas con muchos sueños, por eso el llanto.
El lamento mundial se ha hecho extensivo también a toda la familia Verdolaga quienes desde sus patrocinadores, su Junta Directiva, su Cuerpo Técnico, sus jugadores, su parte administrativa y su afición, han manifestado el desconsuelo y la desazón por lo absurdo. La solidaridad no se hizo esperar y de nuestra parte acompañamos de forma rotunda el padecimiento de todos los hermanos que nos abandonaron quienes junto a sus familiares y nosotros, compartíamos una ilusión grande de ser campeones continentales de la Copa Sudamericana.
Luego de estar muy preocupados por la parte humana pensamos en el aspecto competitivo y queremos publicar este comunicado en donde Atlético Nacional invita a Conmebol a que el título de la Copa Sudamericana le sea entregado a la Associacao Chapecoense de Futebol como laurel honorífico a su gran pérdida y en homenaje póstumo a las víctimas del fatal accidente que enluta nuestro deporte. De nuestra parte, y para siempre, Chapecoense Campeón de la Copa Sudamericana 2016."

E dizem que é só um jogo...

2- Torcida do Atlético Nacional adapta cântico tradicional em homenagem a Chapecoense.


É de arrepiar...

3- Monumentos e estádios ao redor do mundo ganham tons de verde em homenagem à Chape;




4- Medellín fez homenagem à Chape no horário e data que seria realizada a primeira partida da final;

Milhares de pessoas compareceram nesta quarta-feira (30) ao estádio Atanasio Girardot, em Medellín, na Colômbia, para prestar homenagem às vítimas. O estádio seria o local da partida entre o Chapecoense e o Atlético Nacional.

No horário em que começaria o jogo, às 21h45 (horário de Brasília) o estádio já estava em sua capacidade máxima, com pessoas vestidas de branco e com uma vela acesa para se solidarizar com as vítimas, suas famílias e países de origem – Brasil, Venezuela e Paraguai.
Outras milhares de pessoas, segundo o canal Telemedellín, ficaram do lado de fora do estádio e acompanharam a cerimônia por telões. Durante um minuto de silêncio, os expectadores também acenderam seus celulares.

O ministro de Relações Exteriores do Brasil, José Serra, fez um discurso emocionado, em que agradeceu a solidariedade do povo colombiano. "Muito obrigado Colômbia. Nesses momentos de grande tristeza imensa para as famílias, para todos nós, as expressões de solidariedade que aqui encontramos, aqui no Atanasio Girardot, nos oferecem um grau de consolo imenso. Uma luz no escuro quando todos estamos tentando compreender o incompreensível", disse Serra.


5- Arena Condá tem tributo e cerimônia pelas vítimas;

No mesmo dia da homenagem na Colômbia, milhares de pessoas foram à casa do clube prestar homenagens.


6- Velório coletivo na Arena Condá;

Hoje, 03/12, 50 das 71 vítimas foram veladas. Vindos da Colômbia, os corpos chegaram por volta das 12h30min deste sábado em meio a emoção de familiares, amigos e torcedores do clube.


7- CBF decreta luto de uma semana e atividades do futebol brasileiro ficam suspensas por uma semana;


8- Em solidariedade à equipe de Santa Catarina, clubes de todo o país alteraram suas fotos de perfil nas redes sociais.


9- Clubes oferecem jogadores gratuitamente e pedem que Chapecoense não seja rebaixada por 3 anos;


10- Homenagens feitas pelos internautas na web;


Feita por: Andrade Júnior.
Que Deus tenha recebido cada um desses atletas, dirigentes, jornalistas e tripulação de braços abertos e que o Espírito Santo venha consolar cada uma das famílias que estão sofrendo a insuportável dor da perda. Tenho certeza que todos eles estão num lugar bem melhor agora e espero que, de algum jeito, possam estar acompanhando todas essas homenagens e recebendo todo esse amor. Vocês jamais serão esquecidos.

Jogadores:

1. Danilo (goleiro).
2. Gimenez (lateral).
3. Bruno Rangel (atacante).
4. Marcelo (zagueiro).
5. Lucas Gomes (atacante).
6. Sergio Manoel (meio-campista).
7. Filipe Machado (zagueiro).
8. Matheus Biteco (meio-campista).
9. Cleber Santana (meio-campista).
10. William Thiego (zagueiro).
11. Tiaguinho (meio-campista).
12. Josimar (meio-campista).
13. Dener Assunção (lateral).
14. Gil (meio-campista).
15. Ananias (atacante).
16. Kempes (atacante).
17. Arthur Maia (meio-campista).
18. Mateus Caramelo (lateral).
19. Aílton Canela (atacante).

Comissão Técnica:

20. Caio Júnior (técnico).
21. Eduardo de Castro Filho, o Duca (auxiliar técnico).
22. Luiz Grohs, o Pipe (analista de desempenho).
23. Anderson Paixão (preparador físico).
24. Anderson Martins, o Boião (preparador de goleiros).
25. Dr. Marcio Koury (médico).
26. Rafael Gobbato (fisioterapeuta).
27. Cocada.
28. Sergio de Jesus, o Serginho.
29. Adriano.
30. Cleberson Silva.
31. Mauro Stumpf, o Maurinho (vice-presidente de futebol).
32. Eduardo Preuss, o Cadu Gaúcho (diretor).
33. Chinho di Domenico (supervisor).
34. Sandro Pallaoro.
35. Cezinha.
36. Gilberto Pace Thomas, o Giba (assessor de imprensa).

Diretoria:

37. Nilson Folle Júnior.
38. Decio Burtet Filho.
39. Edir de Marco (diretor).
40. Ricardo Porto (diretor).
41. Mauro dal Bello (diretor).
42. Jandir Bordignon (diretor).
43. Dávi Barela Dávi (empresário).

Convidado:

44. Delfim Peixoto Filho (vice-presidente da CBF e presidente da Federação Catarinense).

Imprensa:

45. Victorino Chermont (Fox Sports).
46. Rodrigo Santana Gonçalves (Fox Sports).
47. Deva Pascovich (Fox Sports).
48. Lilacio Júnior (Fox Sports).
49. Paulo Julio Clement (Fox Sports).
50. Mario Sergio Pontes de Paiva (Fox Sports e ex-jogador).
51. Guilher Marques (Globo).
52. Ari de Araújo Júnior (Globo).
53. Guilherme Laars (Globo).
54. Giovane Klein (repórter da RBS TV de Chapecó).
55. Bruno Mauro da Silva (técnico da RBS TV de Florianópolis).
56. Djalma Araújo Neto (cinegrafista da RBS TV de Florianópolis).
57. Adré Podiacki (repórter do Diário Catarinense).
58. Laion Espindula (repórter do Globo Esporte).
59. Renan Agnolin (rádio Oeste Capital).
60. Fernando Schardong (rádio Chapecó).
61. Edson Ebeliny (rádio Super Condá).
62. Gelson Galiotto (rádio Super Condá).
63. Douglas Dorneles (rádio Chapecó).
64. Jacir Biavatti (comentarista RIC TV e Vang FM).

Tripulação:

65. Miguel Quiroga (piloto).
66. Ovar Goytia.
67. Sisy Arias.
68. Romel Vacaflores (assistente de voo).
69. Alex Quispe.
70. Gustavo Encina.
71. Angel Lugo.

Eternos guerreiros.

Você também poderá gostar de:

14 comentários

  1. Eles tem uma história linda de superação que serve de inspiração para todos nós, lamentável essa tragédia, mas que possamos nos lembrar do quanto eles foram fortes e não desistiram dos seus objetivos. Oremos para que Deus conforte toda família.
    http://coisasdemulhercris.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Realmente eles tem uma história linda, muito triste tudo que aconteceu :( :(. Que Deus conforte o coração de toda família e amigos. :( :( ♥
    Beijos
    Vou Arrasar

    ResponderExcluir
  3. Que post incrível! Eles tem uma história maravilhosa mesmo, uma história para inspirar e vale muito a pena lembrar cada momentinho de luta e glória dele. Estamos todos ainda muito abalados, mas ver que ainda existe solidariedade no mundo nos enche de esperança. Que a Chape reúna força e alcance um caminho de muito sucesso, com esses guerreiros sendo sempre lembrados carinhosamente por todos. Parabéns pelo post, ficou muito bom e a Chape merece.

    Beijos,
    Postando Trechos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que tenha gostado! Quis deixar registrado pois eles marcaram a história do esporte e do país. Jamais serão esquecidos!

      Excluir
  4. Que Deus os receba e conforte a todos, foi td mt triste... bjos http://anaherminiapaulino.blog.uol.com.br/

    ResponderExcluir
  5. uma fatalidade, que essas familias se recuperem, mesmo que a dor seja inevitável...
    Blog A primeira Casa

    ResponderExcluir